5 razões que levam Construtoras e Incorporadoras não alcançar bons resultados

5 razões que levam Construtoras e Incorporadoras não alcançar bons resultados

A maioria dos player do mercado imobiliário de nosso país, acredita que sua empresa não está crescendo por causa da conjuntura político-econômica vivenciada.

Escutamos diariamente “por culpa da crise, demitimos os funcionários”, “Estou falido por causa da crise”, “As vendas caíram depois da crise”.

Muitos justificam utilizando este discurso pessimista para justificar os baixos resultados e camuflar a ineficiência da gestão.

Estes são receosos em realizar mudanças, uma vez que acreditaram que o mercado da construção seria sempre o mesmo.

A verdade é que a crise não surge repentinamente, ela primeiro traz sinais. Compete às empresas compreenderem os indícios e se planejarem.

Meu propósito é revelar o que vêm atrapalhando a maioria dos empresários de atingir seus objetivos e ampliar seus lucros.

Como sua empresa se diferencia dos seus concorrentes?

O que você vem fazendo para melhorar seus processos?

Quais são os planos para aumentar as vendas?

Aquele que anda na ponta dos pés não consegue manter-se ereto, aquele que dá passadas muito largas não consegue andar” – Lao Tse

Acredito que a economia, assim como tudo na vida, está em eterna mutação.

Sempre haverão crises, variações no dólar, mudanças políticas, transformações sociais dentre outras coisas que não temos controle.

Pelo lado positivo, o panorama competitivo atual está obrigando as empresas a sair da zona de conforto. Muitos estão buscando se modernizar e aumentar a eficiência de seus processos.

Somente a mudança nos paradigmas atuais vão elevar o mercado imobiliário no Brasil a um novo patamar.

A medida do avanço da tecnologia, o novo cenário trará maiores desafios estratégicos e operacionais.

Os empresários devem estar preparados para este novo cenário de transformações, buscando sempre se expandir no mercado.

Agora vamos aprofundar sobre as práticas impedindo as construtoras e incorporadoras de alcançar os resultados esperados.

1 – Gestão de pessoas

Recursos humanos é uma das principais responsabilidades dos executivos da empresa.

É preciso escolher cuidadosamente os membros que irão compor o nível estratégico, assim como as equipes de produção.

Independente de você estar apenas começando ou já estar estabelecido no mercado, com o aumento dos rendimentos haverá necessidade de trazer mais pessoas ao time.

Se existe intenção de expandir a empresa para um patamar superior, é necessário criar-se uma máquina de admitir e engajar pessoas.

Contratar 5, 10, 100 funcionários não é uma tarefa simples. Quando sua empresa se estender para além de você, é indispensável manter o time alinhado em prol dos objetivos estabelecidos.

Cultura organizacional

Toda empresa tem a sua cultura organizacional, está reúne os comportamentos, hábitos,valores éticos e morais compartilhados no ambiente de trabalho.

Ela permeia todos colaboradores, podendo ser utilizada para incentivar aumento da produtividade no trabalho.

Hoje em dia, ninguém se motivam a trabalhar em um local apenas pelo contracheque no final do mês, as pessoas estão buscando se inserir em uma comunidade onde tenha significado, propósito.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Haygroup, os colaboradores motivados aumentam 40% sua performance em relação com aos “normais”.

Para construir e reter talentos em sua equipe, uma cultura organizacional forte é indispensável.

Aumentar o engajamento com a instituição, vai garantir o alto rendimento do time.

Funcionários desalinhados com a cultura são como maçãs podres, você corre o risco de contaminar toda a cesta.

Para ser um grande líder a chave é o aprendizado e crescimento. Estabeleça a cultura organizacional de forma a mostrar aos funcionários seu valor por pertencer a equipe.

2 – Gestão de processos

De acordo com a pesquisa americana divulgada pela McKinsey, a construção civil é um dos setores da indústria menos digitalizados de todos.

Mão de obra desqualificada, excesso de papel gasto, alto índice de acidentes, são alguns dos problemas vivenciados no setor.

A maioria das empresas de construção civil tem processos arcaicos, é só observar os canteiros de obras para verificar o atraso.

Embora haja grandes desafios técnicos para se automatizar todas atividades realizadas no campo, atualmente já contamos com soluções que promovem melhorias significativas nos resultados.

Para impulsionar a performance da sua firma, inevitavelmente você tem que melhorar seus processos.

Setores como: Comercial e Marketing, Suprimentos de Obras, Gestão de projetos devem ser atualizados com as melhores ferramentas disponíveis no mercado.

Eles desempenham papéis vitais para o aumento de vendas, redução de custos e dos riscos dos empreendimentos.

Se não dispõem de recursos para investir melhorias, tente manter todos processos da forma mais simples e clara possível.

Crie uma forma de documentar o que é realizado, assim é possível identificar os gargalos e pontos de melhoria.

Estabeleça na sua empresa, quais são os canais de comunicação (nuvem, rede, e-mail, aplicativos), deixe tudo rastreado e informe todos sobre os assuntos pertinentes.

Defina regras claras e objetivas sobre os processos, entretanto dê autonomia para o time propor novos métodos para simplificar o que vem sendo desenvolvido.

Consistência é a palavra para melhoria contínua.

3 – Gestão comercial

Servir aos clientes é o que justifica a existência de uma empresa.

Realizar e aumentar vendas é um dos principais desafios enfrentados por todos os empreendedores.

Por muito tempo, as construtoras e incorporadoras puderem apostar nas vendas por relacionamentos e indicações.

Este é um grande canal de aquisição de clientes, porém ele não é repetível e escalável.

Como empreendedor ou gestor, você não pode confiar que seu círculo social trará todo mês um número consistente de novos negócios para sua empresa.

A inexistência de um processo comercial que traga resultados crescentes periódicos é o principal empecilho que levam as construtoras a falência.

O gráfico dos resultados comerciais de muitos players do mercado são similares a uma senoide.

Período de altos e baixos assombram gestores que não conseguem tomar decisões estratégicas, devido a inconstância dos resultados.

Empolgados com os momentos de alta, muitos acabam incorporando novos custos que não conseguem absorver e fecham as portas.

No artigo 5 Dicas para Construtoras e Incorporadoras Ampliarem os Negócios apresentamos:

– Como identificar o cliente ideal para sua empresa;

  • Qual das atividades realizadas, é o carro-chefe do seu negócio;
  • A importância do responsável pelo setor comercial;
  • Como metrificar e definir as metas de vendas;

4 – Gestão de desempenho

A criação de metas é uma ferramenta utilizada pelas empresas para garantir que todos colaboradores estejam alinhados com a missão estabelecida, executando-a.

O planejamento é a base da gestão eficiente, a ausência de objetivos definidos deixa a instituição à deriva das oscilações do mercado.

Com tantas tarefas a ser cumpridas diariamente, eventualmente, os funcionários acabam esquecendo quais são os principais objetivos do negócio.

Deixe bem claro quais são as expectativas da companhia para os próximos períodos, mencione sempre em reuniões e eventos para reforçar o comprometimento.

Defina metas que realmente estejam alinhadas com os objetivos que a empresa quer atingir a curto, médio e longo prazo.

Não se concentre em muitos objetivos ao mesmo tempo e acompanhe rigorosamente seu desempenho.

Sugerimos trabalhar com a metodologia de criação de metas S.M.A.R.T:

Exemplo “Aumentar o número de chegada de leads em 20% em 10 meses”

Específicas – Suas metas devem expressar objetivos específicos dentro da sua empresa, descreva com especificações a melhoria que deseja atingir

Mensuráveis – Determinar um indicador para verificação do cumprimento da meta. No exemplo citado o indicador seria a relação percentual de chegada de leads.

Alcançável – Com a finalidade aumentar o comprometimento do time com as metas estabelecidas, estas devem ser condizentes com a realidade da instituição. Não adianta cobrar metas irreais de seus colaboradores.

Relevante – Crie uma meta que realmente seja importante para evolução da empresa, preocupar com metas inúteis só diminuirão a produção do que interessa.

Temporal – Estabeleça um período de tempo para cada meta, após este período meça os resultados e avalie o desempenho.

5 – Gestão de Marketing

Por bastante tempo as construtoras e incorporadoras enxergaram o marketing como certo receio.

A expressão “É puro marketing” era usada para descrever quem prometia o que não entregava.

Predominava-se a visão equivocada de que o marketing servia apenas para empurrar produtos de maneira a enganar os clientes.

Estavam todos errados.

Em um cenário cada vez mais competitivo, os empresários estão compreendendo a importância do marketing para alavancar os resultados da companhia.

A mentalidade do passado não condiz com a novo tempo, é preciso realizar mudanças.

Os jargões de antigamente já não causam o mesmo impacto de antes.

O marketing não é apenas o responsável por fazer a “propaganda da empresa”.

Os conceitos estabelecidos pelo marketing devem permear por todos setores, como a produção, logística, recursos humanos, comercialização, pós-vendas.

Baixe nosso EBOOK: Estratégias de Vendas Digitais Para Construtoras e Incorporadoras

Trazemos todos conceitos necessários para você conquistar novos contatos para sua empresa utilizando a internet.

Esta é uma potente ferramenta para gerar negócios.

Conclusão

Agora você já sabe os 5 principais motivos que levam as construtoras a falência.

Se você se identificou que sua empresa está cometendo algum dos erros citados, não se preocupe.

Faça os ajustes necessários na sua empresa, engajando a equipe na busca dos objetivos..

Stephen Covey, no seu livro “Os 7 hábitos de pessoas altamente eficazes” define “Zona de preocupação” e “Zona de influência”:

Zona de preocupação – É tudo aquilo que não dominamos, exemplos: Política, Mercado interno, mercado externo, variações no dólar, tendências na construção, etc.

Zona de influência – Tudo que temos controle, exemplos: Estratégias de marketing, treinamento dos funcionários, política de gestão de custos, etc.

Não fique perdendo tempo com os agentes externos, trabalhe dentro da sua zona de influência.

Fique a vontade para falar conosco.

Deixe suas dúvidas/sugestões nos cometários.

Forte abraço!

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ANAPRO 2018 | Todos os direitos reservados